Novo atacante chega hoje

O diretor de Futebol do Uberaba Sport, Ernani Nogueira, afirmou, ontem, com exclusividade ao Jornal da Manhã, que o clube irá emprestar dois atletas ao Fluminense de Araguari – atual lanterna do Módulo II do Campeonato Mineiro.

De acordo com o dirigente, o atacante Felipe Belém e o volante Rômulo ficam na equipe araguarinense até o final da competição. Por outro lado, o atacante Pedro Henrique foi dispensado pela diretoria.

Enquanto isso, na manhã de hoje, o Colorado apresenta o atacante Rafael Fusca, que estava atuando no Taquaritinga-SP, que disputa a Série A-3 do Campeonato Paulista.

Por JM

Anúncios

BASTA! CHEGA!

Agora é hora de união!

Há coisas que só acontecem com a Portuguesa. Sim, mas não somente. Quem convive, quem trabalha e torce pelo Uberaba Sport Club é capaz de afirmar que a Lusa tem um irmão no Estado de Minas Gerais.

Subir e descer de divisão são consequências do futebol. Dói quando se é rebaixado e nos acessos e conquistas, o torcedor esquece momentaneamente das derrotas.

Dívidas dentro de um time de futebol se tornaram lei. Os resultados indicam que a competência anda aliada aos débitos. Será que este é o parâmetro adequado e fazer loucuras é o certo?

Haja visto, leitor, que o maior clube brasileiro (atenção, maior é diferente de melhor), tem uma dívida superior a R$ 300 milhões. Já o atual campeão brasileiro, depende exclusivamente de seus patrocinadores. Se amanhã o Dr. Celso Barros acordar e esquecer que seu coração pertence ao tricolor carioca, o time das laranjeiras está fadado a retornar à terceira divisão.

Mas isso não acontece somente no Brasil. Os grandes poderosos da Europa também pertencem à cúpula. Os papa-títulos do continente desenvolvido não fogem dos nossos padrões administrativos para serem vencedores. Real Madrid e Barcelona, de Cristiano Ronaldo, Kaká, Messi, respectivamente, têm um débito coletivo de 600 milhões de euros.

Bom. Voltemos à nossa realidade. Se é difícil e amargo trabalhar com futebol em grandes centros, onde há milhões de torcedores envolvidos, imagine em equipes do interior de Minas Gerais. Para nós, seria uma missão quase indigesta disputar o Campeonato Mineiro, a Taça Minas Gerais, a quarta divisão do país e por duas vezes seguidas colocar o nome da cidade em evidência na Copa do Brasil.

A atual diretoria do USC, quando necessário, não é poupada de críticas pela Equipe Pé Quente. Mas, nos últimos dias, vem recebendo mais elogios do que críticas.

Diferente de administrações irresponsáveis do passado, esta trabalha com os pés no chão. Comete erros? Claro que sim. Mas com o intuito de acertar e buscar o melhor para o Colorado.

E olha que o cansaço de dirigentes pode estar mais próximo do fim. Basta raciocinarmos um pouco. Será que compensa expor a sua imagem todos os dias nos jornais impressos, nas rádios, TVs e na internet?

Pense bem: compensa trabalhar em uma equipe, onde o principal patrocinador do time está localizado em Belo Horizonte e o segundo investidor é de Araxá?

Caros leitores, definitivamente, algo está errado. Gerir o USC é para guerreiros em um campo de batalha, onde o oponente possui armamentos e números de soldados infinitamente superiores.

Os fatos negativos não pararam de surgir. O despejo de Boulanger Pucci chocou, a “vida de cigano” foi manchete em nível nacional e para não estender mais, por último, o clube foi convidado a se retirar do Adroaldo Speridião, ou seja, mais uma vez o USC está sem teto.

E todas as adversidades aconteceram em momentos bons dentro de campo. O time conseguiu se classificar para segunda fase do Mineiro, participou de duas decisões no Brasileiro, conquistou o bicampeonato da Taça Minas e de quebra duas participações na Copa do Brasil.

Quem aprecia, quem comanda, quem torce e até mesmo os próprios jogadores merecem muito mais que isso. Entretanto, não há mais possibilidade de lutar contra esta correnteza. Por isso leitores, a Equipe Pé Quente é obrigada a dizer: BASTA! CHEGA!

É preciso iniciar as obras do Centro de Treinamento o quanto antes. Dois deputados federais garantiram uma emenda particular de R$ 1 milhão cada. Com a contrapartida do município de 20%, acreditamos que dá sim para construir, dois campos, vestiários, departamento técnico e outros detalhes mais.

Não queremos mais continuar ouvindo do prefeito Anderson Adauto, que a ajuda da prefeitura depende exclusivamente do presidente do USC, Luiz Humberto Alves Borges. Também não queremos ouvir do cartola majoritário que têm algumas burocracias para serem resolvidas com a prefeitura. Se realmente existem estas emendas, chegou o momento. Não há outra oportunidade.

Com todo respeito a outros temas e pedidos, a situação do Uberaba Sport Club se tornou prioridade. É momento de união!

Tulio Micheli/Gullit Pacielle

Motivado, Victor chega ao Uberaba Sport


Prestes a finalizar a montagem do elenco para as disputas do Campeonato Mineiro e da Copa do Brasil, o Uberaba Sport Club segue em ritmo de contratação. Foi apresentado ontem, no Adroaldo Speridião, o lateral- direito Victor.

Além de Raniel, que treina com o restante do elenco desde dezembro, a expectativa da diretoria era contar com os trabalhos do experiente Maurinho, ex-Santos e Cruzeiro, na lateral-direita. Todos os detalhes, inclusive as bases salariais estavam acertados, entretanto, o jogador optou em permanecer no futebol gaúcho.

Sem Maurinho, Victor, eleito em 2008 o melhor lateral-direito da Copa Espírito Santo, fez contrato com o USC até o fim do Campeonato Mineiro de 2012. O jogador não escondeu a sua empolgação com a oportunidade de disputar pela primeira vez o estadual de Minas Gerais e a Copa do Brasil. “Quando recebi a ligação, procurei saber tudo do Uberaba. Tive ótimas informações, me falaram muito bem da equipe. Pesou na minha escolha o fato de poder atuar em duas competições de alto nível, como o Mineiro e a Copa do Brasil. São grandes competições e que dão boa visibilidade ao atleta e ao clube”, afirmou Victor.

O primeiro contato do lateral-direito com a imprensa uberabense aconteceu no Programa JM Esporte – Primeiro Tempo de ontem, na Rádio JM/630kHz. Com boas referências, Victor se apresentou como um jogador veloz. O atleta sabe que não será fácil conquistar a confiança do torcedor, já que Ivonaldo, atualmente no Madureira, deixou saudades. “Estou ainda no início da carreira. Tenho características ofensivas. Não estou aqui para ser comparado com ninguém (Ivonaldo), vim para o Uberaba procurando meu espaço. Sei também que a torcida é fanática e gosta muito do time. Espero dar muitas alegrias, conquistando o carinho do torcedor”, contou o lateral-direito.

Empréstimo. O novo lateral-esquerdo, Helton, de 19 anos, até o fechamento desta edição não havia chegado na cidade. De acordo com Ernani Nogueira, o atleta se apresenta na manhã de hoje, ou no treinamento vespertino.

Quem participou da atividade foi o jovem atacante de 21 anos, Leandro Saldanha. O atleta será avaliado pela comissão técnica e caso seja aprovado, fará contrato para a competição regional.

Com 1,92m, Saldanha atuou nas categorias de base do Atlético-MG e América-MG. Posteriormente esteve no Feyenoord da Holanda e no futebol Eslovaco, porém, não teve oportunidade de jogar em tais equipes.

Araguaína chega hoje em Uberaba

A delegação do Araguaína Futebol e Regatas tem chegada prevista para esta tarde em Uberaba. A equipe deixou o Tocantins na tarde de ontem, de ônibus, para enfrentar os 1.584 quilômetros que separam uma cidade da outra.

Para o primeiro duelo contra o Zebu, o Tourão do Norte terá desfalques. O técnico Léo Goiano não poderá contar com o goleiro Huanderson, que cumprirá suspensão automática. Régis será o dono da camisa 1.

Outro que não viajou foi o zagueiro Martony, expulso diante do Brasília-DF. No seu lugar deve entrar Marraquete, que já defendeu as cores da URT, de Patos de Minas. Em Uberaba, o Araguaína deve treinar nos dois próximos dias. Os locais ainda não foram definidos pela comissão técnica.